Livro revela que Marilyn Monroe estava sem lingerie ao cantar parabéns para JFK

Livro revela que Marilyn Monroe estava sem lingerie ao cantar parabéns para JFK - Foto: Reprodução/Instagram

Livro revela que Marilyn Monroe estava sem lingerie ao cantar parabéns para JFK – Foto: Reprodução/Instagram

Marilyn Monroe estava sem nenhuma lingerie ao cantar Parabéns pra Você para o presidente John F. Kennedy na festa de aniversário de 45 anos do político, em maio de 1962.

A informação veio a público em um livro recém publicado sobre a vida do cineasta Mike Nichols, falecido em 2014. A obra se chama Life Isn’t Everything: Mike Nichols, As Remembered By 150 Of His Closest Friends (em tradução, A vida não é tudo: Mike Nichols segundo as lembranças de 150 de seus amigos mais próximos).

De acordo com o Daily Mail, que teve acesso à obra, a história sobre a (falta de) lingerie de Monroe foi contada por Nichols à sua amiga Maureen Dowd, jornalista do New York Times. Segundo ela, Nichols estava no palco do Madison Square Garden, onde aconteceu a festa do então presidente, falecido em 1963.

No momento da apresentação de Marilyn, houve um pequeno rasco no figurino da atriz, e foi a partir daí que tudo aconteceu. “Quando a Marilyn cantou Parabéns pra Você, o Mike estava no palco aquela noite. Ele me contou, ‘eu estava atrás da Marilyn, completamente invisível’ e aquela coisa constrangedora aconteceu. O vestido rasgou, para o meu benefício, e sim, com certeza, ela não estava com nenhuma lingerie’”, confidenciou a jornalista no livro em homenagem ao amigo.

Na época, a apresentação de Monroe para o presidente se tornou um escândalo pelo tom sensual com o qual cantou a música para ele. Naquele momento já haviam vários boatos de que JFK e a atriz, que morreu pouco tempo depois naquele mesmo ano, tinham um caso.

De qualquer forma, o momento em que ela canta a música para o presidente enraizou-se no imaginário popular, assim como o vestido usado pela diva naquele dia, justíssimo e cheio de brilhantes, desenhado pelo Jean Louis (1907-1997).

Comentários