Crítica: Rambo 5: Até o Fim é um filme lamentável do começo ao fim

Crítica: Rambo 5: Até o Fim é um filme lamentável do começo ao fim - Foto: Reprodução

Crítica: Rambo 5: Até o Fim é um filme lamentável do começo ao fim – Foto: Reprodução

Por mais que os filmes Rambo sejam conhecidos por sua estereotipagem e violência gratuita, eles começaram com um objetivo mais significativo.

Em 1982, Rambo: Programado Para Matar era um filme de ação dos anos 80, mas também contava a história de um veterano da Guerra do Vietnã com estresse pós-traumático procurando uma casa em um país que (do ponto de vista dele) se ressentia de sua existência. A partir daí, no entanto, a franquia dobrou seu espetáculo sangrento ao mesmo tempo em que tentava ser apolítica sobre as histórias de combates, colocando Rambo na Guerra Fria ou no resgate de missionários cristãos sequestrados no exterior.

Basta dizer que isso não funcionou. Rambo: Até o Fim, supostamente o último filme da saga do personagem no cinema, simplesmente segue essa tradição para resultados previsivelmente impressionantes. Até o Fim é um exercício de violência excessivamente sangrenta e mantém a tradição na produção de filmes de ação que misturam em seu roteiro, de forma desajeitada, política duvidosa que agrega pouco valor à história original.

Veja a crítica completa, sem spoilers:

LEIA MAIS

Bailarina revela que teve caso com Anitta
Vídeo: Sandy dança na boquinha da garrafa
Cauã Reymond fará gêmeos em nova novela
Ellen Rocche diz que seios grandes incomodam
Jojo chama a atenção por tatuagem íntima
Hilaria Baldwin anuncia a 6ª gravidez na web

Veja mais notícias de Famosos.

Comentários