Criticado após revelar ser bissexual conservador, Netinho se manifesta na web: “Nunca deixei de me sentir homem”

Netinho causou polêmica ao se manifestar sobre o beijo gay no HQ de Vingadores - Foto: Reprodução/ Instagram

Netinho causou polêmica ao se manifestar sobre o beijo gay no HQ de Vingadores – Foto: Reprodução/ Instagram

Na última semana, o cantor Netinho se viu em uma polêmica ao afirmar ser um “bissexual conservador”, que acabou gerando diversas críticas entre os internautas.

Agora, ele resolveu voltar ao assunto para explicar o seu ponto de vista sobre a situação, e dar mais detalhes sobre essa questão.

“Quanto a ‘bissexual e conservador’, coloco de forma bem simples como enxergo a minha afirmação, baseado apenas no que eu sou. E o que eu sou, só eu sei”, iniciou ele no texto que publicou em suas redes sociais no último domingo (15/09).

O cantor então passou a explicar: “Por ter vivido relações heterossexuais, ter sido casado e ter tido filho, e por também ter experimentado relações homossexuais no passado, me considero bissexual e encaixado no acrônimo LGBT. Porém, eu nunca deixei de me sentir homem nem de me comportar como homem. Nunca desejei constituir família com um outro homem. Eu também nunca quis ser mulher nem ter corpo ou características de mulher”, afirmou.

 

Desejos homossexuais

Em seu texto, Netinho passou a explicar como adquiriu a sensibilidade que sempre marcou sua carreira, inclusive na composição e interpretação das músicas que gravou durante todos esses anos.

“Por causa de desejos sexuais homossexuais, digo impossíveis de não serem atendidos, fiz muitas loucuras e me arrisquei muito. Felizmente passei incólume por tudo e sou sadio. Este sou eu. A minha voz aguda e a minha extrema sensibilidade, creio eu, vieram pra mim da minha genética e também da criação matriarcal que eu tive desde que meu pai se foi quando eu tinha 9 anos de idade”, ponderou.

Ele continuou: “Foi daquele universo feminino no qual fui criado que herdei coisas lindíssimas e só agradeço por elas. As mulheres então fizeram e fazem parte indisassociável (sic) da minha vida. Durante toda a minha carreira, por exemplo, eu sempre cantei as músicas de amor para as mulheres. E para completar essa maravilha, o filho que eu desejei ser menino, nasceu menina e me deu o incrível entendimento do que é ser pai de uma menina”.

A decisão

A partir de então, Netinho confirmou que não tem mais nenhum relacionamento com outro homem desde que ficou doente, no começo da década. “Desde que saí do hospital no final de 2013 eu decidi não mais ter relacionamentos amorosos homossexuais. Não por preconceito, apenas por vontade que tive com o objetivo de ter vida mais tranquila. Não estou livre de desejos homossexuais mas consegui controlá-los e atualmente eles nada me dizem”, escreveu.

“Sei que essa conquista minha se deve a tudo que vivi nos hospitais quando tudo que eu enxergava era o breu total. Aquilo me fez um homem muito resistente a muitas coisas e bem suscetível a outras. E uma das resistências foi o controle das minhas vontades e desejos. Pense você ter que ficar muito tempo sem falar, sem levantar, sem andar, sem beber água, sem fazer sexo, sem ser você e preso numa cama em um lugar completamente estranho à sua vida. Agora imagine passar por isso eu, com a vida veloz, agitada e completamente cheia de novidades que eu tinha. ‘Saia da ilha para conseguir enxergar a ilha’, isso procede”, ponderou.

 

Conservadorismo

A partir de então, Netinho passou a detalhar sua visão política. “Depois de tudo, vejo que apesar da minha vida de artista e de todo tipo de aventura que eu vivi, sempre fui conservador, por exemplo e nesse caso, no que se refere à preservação, a valorização e a todo tipo de conservação da família como única base real para o ser humano. Foi considerando esse viés, além de todos os outros que tenho, que afirmei e afirmo ser bissexual e conservador”, disse.

Foi então que passou a atacar jornalistas que o criticaram pela aparente contradição em sua fala. “Alguns ‘jornalistas’ também me criticaram por isso em blogs e jornais on-line. O motivo das críticas eu entendo muito bem. Lamento pelo jornalismo estar sendo cada vez mais destruído por ‘jornalistas’ sem ética, sem moral, sem vergonha na cara e sem escrúpulos. Nesses tempos sombrios de mídia, aquele que não quer ser feito de otário, procura se informar nas fontes verdadeiras de notícias. Quanto a pessoas, as verdades sobre elas estão nas suas próprias redes sociais e não em PROGRAMAS que alienam as pessoas. Todo ser humano ativo na vida tem redes sociais e é nelas onde estão as suas verdades. Só fofoqueiros, ignorantes e/ou iludidos alimentam a parte podre da mídia”.

Após publicar o texto, o cantor recebeu dezenas de elogios em suas redes sociais. “Você é um ser humano admirável. Agora mais que nunca, lhe tenho grande admiração e respeito! Deus te abençoe grandemente”, escreveu uma fã. “Netinho você é um ser encantador, que Deus cubra de bençãos sua vida”, disse outra.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Quanto a “bissexual e conservador”, coloco de forma bem simples como enxergo a minha afirmação, baseado apenas no que eu sou. E o que eu sou, só eu sei. Por ter vivido relações heterossexuais, ter sido casado e ter tido filho, e por também ter experimentado relações homossexuais no passado, me considero bissexual e encaixado no acrônimo LGBT. Porém, eu nunca deixei de me sentir homem nem de me comportar como homem. Nunca desejei constituir família com um outro homem. Eu também nunca quis ser mulher nem ter corpo ou características de mulher. Por causa de desejos sexuais homossexuais, digo impossíveis de não serem atendidos, fiz muitas loucuras e me arrisquei muito. Felizmente passei incólume por tudo e sou sadio. Este sou eu. A minha voz aguda e a minha extrema sensibilidade, creio eu, vieram pra mim da minha genética e também da criação matriarcal que eu tive desde que meu pai se foi quando eu tinha 9 anos de idade. Foi daquele universo feminino no qual fui criado que herdei coisas lindíssimas e só agradeço por elas. As mulheres então fizeram e fazem parte indisassociável da minha vida. Durante toda a minha carreira, por exemplo, eu sempre cantei as músicas de amor para as mulheres. E para completar essa maravilha, o filho que eu desejei ser menino, nasceu menina e me deu o incrível entendimento do que é ser pai de uma menina. Desde que saí do hospital no final de 2013 eu decidi não mais ter relacionamentos amorosos homossexuais. Não por preconceito, apenas por vontade que tive com o objetivo de ter vida mais tranquila. Não estou livre de desejos homossexuais mas consegui controlá-los e atualmente eles nada me dizem. Sei que essa conquista minha se deve a tudo que vivi nos hospitais quando tudo que eu enxergava era o breu total. Aquilo me fez um homem muito resistente a muitas coisas e bem suscetível a outras. E uma das resistências foi o controle das minhas vontades e desejos. Pense você ter que ficar muito tempo sem falar, sem levantar, sem andar, sem beber água, sem fazer sexo, sem ser você e preso numa cama em um lugar completamente estranho à sua vida. Agora imagine… (TEXTO COMPLETO NO FACEBOOK NETINHO OFICIAL). #netinho30anosdecarreira

Uma publicação compartilhada por Netinho (@netinhooficialbrasileiro) em

Comentários