Débora Falabella critica a ditadura do antienvelhecimento: “É um dos maiores absurdos do mundo”

Débora Falabella como Irene, sua personagem na novela A Força do Querer – Foto: TV Globo/ Tata Barreto

Aos 38 anos, Débora Falabella segue a vida livre, leve e solta, sem se preocupar com os padrões de beleza impostos às mulheres.

Diferentemente de Irene, sua personagem na novela A Força do Querer, a vaidade e a preocupação com a aparência não tomam muito tempo da vida da atriz.

Em entrevista à coluna Mulher, do jornal Extra, Débora opinou sobre a ditadura do antienvelhecimento, e classificou o comportamento como “um dos maiores absurdos do mundo”.

“Esta exigência [de nunca envelhecer] é um dos maiores absurdos do mundo. A gente tem que poder envelhecer. É bom, tem que ser bom. O curioso é que isso é exclusivamente em relação à mulher porque, na minha opinião, os homens não são tão cobrados assim”, disse.

Débora Falabella como Irene, sua personagem na novela A Força do Querer – Foto: TV Globo/ Tata Barreto

“Esta exigência ainda não é algo que me afete, mas acho que, com a maturidade, ganhamos algumas coisas, perdemos outras. A vida é assim. A sociedade tem que parar com a bobagem de colocar que a mulher só é bonita num momento da vida”, continuou.

À publicação, Débora contou que não se sente muito à vontade para se manifestar e fazer outras críticas sem ser no âmbito profissional, e que prefere se posicionar através da arte.

“Não dá para fingir que nada acontece. Eu sou como consigo ser. Não crio nada. Existem pessoas que têm liberdade com o público de se expor, de se colocar. Para mim, é muito mais confortável estar como uma personagem do que numa entrevista”, explicou.

“Numa entrevista, quem está dizendo sou eu, não tem aquela proteção da personagem. Então, eu acho que agir assim é algo natural. Vivo dessa maneira desde o início da carreira, dos 19 ou 20 anos. Eu não tenho interesse em ser uma personalidade. Eu tenho interesse em ser uma atriz, essa personalidade de papéis na arte”, completou.

Comentários