Jurado do Masterchef critica seleção do programa: “Deveriam ser estudantes”

Henrique Fogaça é um dos jurados da versão brasileira do Masterchef. Crédito: Divulgação/Band

Henrique Fogaça é um dos jurados da versão brasileira do Masterchef. Crédito: Divulgação/Band

A única exigência para participar da primeira temporada do reality show Masterchef, da Band, era que o candidato nunca tivesse passado por um curso de gastronomia. Como o nível foi baixo para a maioria do jurados, uma estratégia pode ser repensada.

É o que disse um deles, Henrique Fogaça, em entrevista ao jornal Extra. “Se tiver uma segunda temporada, acho que deveriam ser estudantes de gastronomia. Amadores, mas estudantes”, comentou o chef de cozinha, um dos mais rígidos do programa.

Segundo ele, não há diferença na forma como ele trata os participantes e que age da mesma forma em casa e no trabalho. “Isso é o que faço normalmente, é uma avaliação natural do prato. Estou ficando mais crítico, os meus critérios têm que ser de como é na cozinha”, explicou.

Para trabalhar com o profissional, a primeira exigência é o comprometimento. “Uma pessoa que vai começar o estágio comigo não pode faltar. Só se for por uma situação muito grave. O comprometimento tem que estar acima de tudo. A cozinha não é para os fracos”, disse taxativo.

A fama do programa, que vai ao ar nas terças-feiras, já rendeu bons frutos para Fogaça. Segundo a revista Veja, o público cresceu nos seus estabelecimentos, Sal Gastronomia e Cão Véio. O público do jantar da quarta na Galeria Vermelho cresceu em torno de 40% e o bar em Pinheiros “está supercheio, com lotação máxima”, contou Marcos Kichi, sócio do chef.

Comentários